segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

"O zazen é um mundo desprovido de sentimentos de procura, de busca. É a eliminação dos desejos de recompensa, das expectativas de proveito, de ganho e de lucro. Penetramos no que existe antes de considerarmos perdas e ganhos. Não se busca nem mesmo a sabedoria. Eliminam-se todos os sentimentos de pedir, querer, mendigar. Apenas sentados. A isso o mestre chama de 'zazen que não serve para nada'."

Shundô Aoyama Rôshi (Para uma pessoa bonita - Contos de uma mestra)

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Durante um único instante oitenta mil portas são criadas; durante um único instante, o tempo eterno é concluído.

Num instante são criadas oitenta mil portas (porta=fenômeno). Num instante, o tempo eterno se acaba. Um único momento é completo e dura a eternidade. Viver aqui e agora. Não pensar no futuro.

O instante presente é como o tempo eterno. Se o instante não é vivido, não existe eternidade.

O seu zazen desta manhã continua eternamente.

A sua consciência, aqui e agora, exerce uma influência eterna.

Dogen escreve sempre: "Aqui e agora é importante."

Quando você toca o gongo uma vez, o som ressoa durante muito tempo.

Não é preciso bater muitas vezes. Um único som dura muito tempo, muito tempo.

Um único zazen pode cortar todo o seu karma.

(Shodoka, O canto do Satori imediato, Yoka Daishi - tradução e comentários do Mestre Taisen Deshimaru Roshi, Ed. Pensamento)

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Reconhecendo o inimigo interior

Uma das melhores qualidades humanas é a inteligência, que nos permite julgar o que é salutar e o que é nocivo, o que é benéfico e o que é nefasto. Pensamentos negativos, como a raiva e o forte apego, destroem essa qualidade humana especial, e isso é realmente lamentável. Quando a raiva ou o apego dominam a mente, a pessoa fica quase enlouquecida, e tenho certeza de que ninguém deseja enlouquecer. Sob seu poder, cometemos todo tipo de atos - muitas vezes com consequências destrutivas e de grandes proporções. Uma pessoa dominada por tais estados mentais e emocionais é como um cego que não pode ver aonde está indo. E, mesmo assim, não tratamos de desafiar esses pensamentos e emoções negativos, que levam à beira da insanidade. Muito pelo contrário, nós os alimentamos e reforçamos! Desse modo, estamos na verdade, nos tornando presas de seus poderes destrutivos. Quando refletirem a esse respeito, vocês poderão se dar conta de que nosso verdadeiro inimigo não está fora de nós mesmos.

Deixem-me lhes dar um exemplo. Quando sua mente está treinada na autodisciplina, mesmo que vocês estejam cercados por forças hostis, sua paz mental e sua calma podem ser facilmente destruídas por seus próprios pensamentos e emoções negativos. Repito, então: o inimigo real está dentro, e não fora de nós. Definimos geralmente nosso inimigo como uma pessoa, um agente externo, que, acreditamos, está fazendo mal a nós mesmos ou a alguém que nos seja querido. Mas tal inimigo é relativo e impermanente. Num momento, a pessoa pode agir como inimigo: noutro momento, porém, pode se tornar nosso melhor amigo. Essa é a verdade que vivenciamos muitas vezes em nossa própria vida. Mas pensamentos e emoções negativos - o inimigo interior - continuarão sendo sempre um inimigo. São nossos inimigos hoje, foram nossos inimigos no passado e continuarão sendo nossos inimigos no futuro, enquanto habitarem nosso continuum mental. É por isso que Santideva diz que pensamentos e emoções negativos são o verdadeiro inimigo, e este inimigo está dentro de nós.

(O mundo do Budismo Tibetano - uma visão geral de sua filosofia e prática - Tenzin Gyatso - O décimo quatro Dalai Lama, Ed. Nova Fronteira)

Combatendo a resistência

Um profissional Certa vez, alguém perguntou a Somerset Maugham se ele  escrevia segundo um horário ou somente quando lhe vinha a  ins...