segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Verdade






foto: Laila Menezes

Não permaneça na companhia
daqueles que habitualmente criticam os outros.
Especialmente não se misture com aqueles
que julgam as diversas expressões da Verdade.

Ofereça orientação sincera
onde e quando necessário,
baseado na Verdade que você mesmo experienciou.
Porém, não se esforce para convencer alguém da Verdade.

Mooji

terça-feira, 25 de agosto de 2015

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Zazen - Casa Zendo Brasília







Convidamos a todos para zazen de inauguração 
da casa Zendo Brasília hoje (24) às 19h30

Endereço: SHCGN 703 - Bloco N - casa 12 - Asa Norte


Sejam bem vindos!

foto: Aline Zuien

"Que os méritos de nossa prática se estendam a todos os seres, e que possamos todos nos tornar o Caminho Iluminado"

Gassho

Kakuzen


quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Comunicado

Comunicamos que domingo (23), às 10h20 não haverá zazen para iniciantes.



Zendo Brasília
Novo endereço a partir de segunda-feira, dia 24

SHCGN 703 - Bloco N - casa 12

Gassho

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Palavras do Darma



Nas novelas da vida, onde está a amizade sem maldade? Onde está o momento do reencontro sagrado? Cadê a meditação, a oração, o silêncio? Será verdade? Será que vivemos para continuar criando um mundo de crueldades?

É preciso inovar, reescrever a história da humanidade. Ela é tecida com as nossas vidas. Há outros sentimentos, outros momentos, outras falas, outros personagens. Não são menos. São mais.

(Monja Coen - Palavras do Darma)

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Jizo Bosatsu








Seu nome em japonês é Jizo Bosatsu. Sua função: salvar a terra e levar todos os seres do mar do sofrimento para  a praia segura e tranquila do Nirvana. Pode surgir nas mais diversas formas e aparências. Pode penetrar o inferno mais profundo e todos os locais de grandes sofrimentos. Pode estar no céu mais elevado e em todos os lugares onde há alegria.

Não é uma pessoa, um santo. Não foi uma virgem, uma freira, uma santa. Bosatsu pode ser qualquer um de nós, quando somos capazes de nos igualar aos nossos irmãos, companheiros de jornada, filhos todos da terra amada. Quando somos capazes de sofrer e de chorar, de rir e de amar, sem exclusão. Quando somos capazes de criar condições para que todos possam ter dignidade.

(Palavras do Darma - Monja Coen)


terça-feira, 11 de agosto de 2015

Zazen - Um ensinamento sobre a meditação zen, por Monja Coen



Zazen literalmente significa Sentar Zen. Zen é uma palavra que vem do Sânscrito Dhyana ou Jhana e significa um estado meditativo profundo. Geralmente não chamamos o Zazen de meditação, pois o verbo meditar é transitivo direto, ou seja, requer um objeto. Meditar sobre a vida, meditar algo. Enquanto que o Zen é intransitivo. Não há objeto de meditação. Até o sujeito desaparece. E quando isso acontece o Caminho se manifesta em sua plenitude.

Procure um local tranquilo, nem muito claro nem muito escuro, não muito quente nem muito frio.

Há várias maneiras de sentar-se: posição das bermudas, meio lótus, lótus completo, banquinho, cadeira. Em qualquer uma delas é importante que a coluna vertebral seja mantida ereta. O queixo um pouco para baixo, de forma que a região cervical fica reta. Verifique se seu corpo está centrado, movendo da esquerda para a direita, como um pêndulo – de movimentos largos a movimentos menores e pare exatamente em seu próprio centro de equilíbrio.

Perceba se as orelhas ficam em linha com os ombros e o nariz em linha com o umbigo. Esvazie os pulmões, soltando todo o ar profundamente pela boca, umas três vezes. Relaxe qualquer parte do corpo onde sinta tensão. Em seguida coloque as mãos no mudra cósmico (mão direita embaixo, com a palma voltada para cima e a costa dos dedos da mão esquerda repousando na palma dos dedos da direita,mantendo a mão esquerda com a palma para cima. Encoste levemente os dois polegares, como se houvesse uma finíssima folha de seda entre eles). Perceba que suas mãos estarão formando uma elipse, assim como os planetas em torno do Sol – o cosmos em suas mãos.

Em seguida coloque a ponta da língua no palato superior, tocando de leve atrás dos dentes frontais. Isto cria um canal de comunicação de energia ao mesmo tempo que evita muita salivação.



Mantenha os olhos entreabertos, pousados cerca de um metro e meio de distância num ângulo de 45 graus.

Assim, sem pensar e sem não-pensar, sente-se calmamente por alguns minutos. Alguns ficam em zazen por 40 minutos, outros por 30 ou mesmo 20 minutos. De qualquer maneira adapte à sua realidade. Para quem nunca praticou nenhuma forma de meditação mesmo cinco minutos pode ser um bom tempo. Não tenha pressa em querer sentar por longos períodos.

Tendo assim assentado corpo e mente perceba sua respiração. Sinta se está sendo abdominal (ao inalar o abdômen se expande ao exalar se contrai) ou torácica (a caixa torácica se expande e se contrai). Perceba seus batimentos cardíacos. Ouça todos os sons, próximos e distantes. Sinta as fragrâncias da sala, do local (pode ser ao ar livre). Perceba o ar, sua textura, sua temperatura. A luz e a sombra que se formam onde seus olhos estão pousados são também percebidas. Verifique sua postura, a posição das mãos, da coluna, da língua e oxigene áreas de tensão. Perceba seus pensamentos. Como se formam, como desaarecem. Veja se pensa em formas, palavras, música, cores, imagens. Qualquer emoção que surja deve ser notada. Assim como seu término. O mesmo para memórias. Entretanto não fique pensando apenas, nem apenas percebendo, pois isto ainda está no plano da dualidade. Torne-se um com o uno sendo a respiração, a postura correta e a vida do universo em constante fluir.

Um momento de zazen é um momento de Buda.

Entre tarefas, em momentos de stress no trabalho, nos estudos, entre amigos e desafetos, em casa, no trânsito, lembre-se apenas de endireitar a coluna e respirar conscientemente. Perceba suas emoções e batimentos cardíacos. Relaxe, sorria. Tudo é passageiro. Aprenda a estar presente no instante e a agir da maneira correta a transformar o que não for de seu agrado. Lembre-se: apenas reagir não transforma.

Assim, use o Zazen para o seu bem e de todos os seres. Pois afinal, se se entregar ao Zazen de corpo e mente verificará que é o Zazen que faz zazen… Zazen zazen zazen.

(Texto publicado em Budismo Petrópolis)

domingo, 9 de agosto de 2015

Momento a momento

Foto: Lou Gaioto

Oferecemos pensamentos, palavras e ações a cada momento. O que nós pensamos, o que falamos ou o que fazemos possui um efeito sobre o mundo e sobre nós. O mundo também é composto por nós; saímos para o mundo afora no exato momento em que falamos . Nós estamos nos projetando para o mundo o tempo todo e não estamos somente aqui, estamos também ali.

Qualquer coisa que você pense, fale ou venha a fazer terá um efeito ao seu redor e dentro de você. Você não está somente dentro, você também está fora de seu corpo. Um praticante de meditação vê a si não somente em seu corpo, mas também fora de seu corpo. Você consegue se ver fora de seu corpo? Se sim, você já possui insight. Você não é apenas continuado dentro, mas também fora. A energia tripla do carma está produzindo um efeito no aqui e agora.



No momento em que produz um pensamento, este pensamento, imediatamente, gera um efeito sobre você. No momento em que você produz um pensamento de compaixão, de bondade amorosa, cada célula em seu corpo recebe esta energia maravilhosa. Por outro lado, se é um pensamento de ódio ou de desespero que você produz, imediatamente, gerará um efeito ruim sobre cada célula de seu corpo e sobre sua consciência. 
(Thich Nhat Hanh - Corpo e mente em harmonia)

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Foto: Lou Gaioto

A fim de realmente crescer interiormente, você deve primeiro ser desafiado a partir de todas as direções.

As coisas não podem simplesmente ser do seu jeito.Você não pode comandar a vida ou esperar que ela cumpra as suas projeções.

Se as coisas são sempre fáceis, você vai adormecer dentro do seu ser.

À medida que você se torna mais sensível, mais alerta, intuitivo, aberto e silencioso,o medo, a resistência e a letargia desaparecem e são substituídos por uma calma profunda e uma fé no Invisível.

Embora nenhuma companhia externa possa ser vista ao seu lado, aquele que caminha com Deus nunca está sozinho.

Os anfitriões do céu caminham com ele.
Bem-vindo ao caminho da verdadeira vida.


(Mooji)

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

O que é felicidade



Foto: João Antônio



Felicidade é bem-estar. Não é busca incessante por sensações prazerosas. Tudo bem querer sentir prazer, mas é algo efêmero. Felicidade é outro negócio: é realização, satisfação e florescimento. 

Felicidade é consequência de várias qualidades, entre elas a liberdade interior. Não liberdade para você fazer o que quiser, mas em relação a pensamentos que escravizam. Obsessões, ganância, raiva, ciúmes, arrogância. 

Depois de 15 anos de pesquisas e encontros com cientistas, cheguei à conclusão que altruísmo é a mais importante das qualidades que compõem a felicidade. 

Vivemos num mundo em que parece haver mais individualismo, ganância e corrupção que altruísmo. 

A gente subestima enormemente o fato que, na vida cotidiana, há muito mais gestos de bondade e gentileza que de agressividade ou maldade. Não prestamos atenção no fato de as pessoas se reunirem nas ruas ou no trabalho sem se estapear a cada cinco minutos. Achamos normal. Mas se em uma ocasião apenas dois colegas de trabalho trocarem socos, isso será assunto para o mês todo.


(Matthieu Ricard - monge budista)

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Budismo é estar desperto


Plasticidade Cerebral

Foto: Lou Gaioto


"O cérebro humano não é um projeto acabado. Ele se transforma de acordo com os estímulos que recebe ao longo da vida. A isso chama-se Plasticidade Cerebral.

A manifestação do DNA humano também se modifica ao longo de uma vida, de acordo com os estímulos recebidos, conceito chamado de Epigenética.


Um jovem de 12 anos de idade que assistiu uma média de 3 horas de televisão por dia, já presenciou cerca de 20 mil cenas de morte.

Sabemos que nosso cérebro não distingue com clareza ficção e realidade e cria estados físicos, mentais e emocionais muito semelhantes em ambos os casos.

Que impacto esses estímulos têm em nosso desenvolvimento? E em nossa estrutura genética? É saudável construir nossas estruturas internas sobre estas bases? É saudável uma cultura construída por pessoas assim formadas?"

– Matthieu Ricard (Essas foram algumas provocações levantas por Matthieu Ricard em sua visita ao Brasil para o lançamento do livro "A revolução do Altruísmo", pela Palas Athena Editora.)

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

As 8 preocupações (anseios) mundanas



foto: Lou Gaioto



[1] querer ser elogiado;

[2] não querer ser criticado;

[3] querer ganhar; 

[4] não querer perder;

[5] querer ter prazer; 

[6] não querer dor;

[7] querer ser reconhecido; 

[8] não querer ser ignorado.

(Bodisatva Geshe Langri Tangpa - 1054-1123)



domingo, 2 de agosto de 2015

Versos do Dhammapada






Aqui ele se aflige e no futuro se afligirá,
de ambos os modos o malfeitor se aflige;
Ele se aflige e sofre,
ao ver suas próprias ações prejudiciais.

Dhammapada 15


 

Aqui ele se alegra, e no futuro se alegrará,
de ambas as formas o benfeitor se alegra;
Ele se alegra e se rejubila,
ao ver suas próprias ações benéficas.

Dhammapada 16

Combatendo a resistência

Um profissional Certa vez, alguém perguntou a Somerset Maugham se ele  escrevia segundo um horário ou somente quando lhe vinha a  ins...